(31) 2516-4056 / atendimento@rhoriente.com.br

    • (31) 99791-0446

5 dicas para aumentar o autoconhecimento

Você não pode ser um bom líder sem autoconsciência. Ela está na raiz do caráter forte, nos dando a capacidade de liderar com um senso de propósito, autenticidade, abertura e confiança. Isso explica nossos sucessos e nossos fracassos. E ao nos dar uma melhor compreensão de quem somos, a autoconsciência nos permite entender melhor o que mais precisamos de outras pessoas, para complementar nossos próprios pontos a desenvolver.

A questão, então, é como podemos cultivá-los e desenvolvê-los ainda mais. Existem muitas maneiras de fazer isso. Confira as 5 melhores no artigo de hoje!

Melhores práticas para atingir o autoconhecimento:

1. Medite

Sim, medite. Como a maioria das pessoas já sabe, a meditação é a prática de melhorar sua consciência momento a momento. A maioria das formas de meditação começa focando e apreciando a simplicidade da inspiração e expiração. Mas estes não precisam ser formais ou ritualísticos – maior clareza também pode vir de momentos regulares de pausa e reflexão.

Tente obter uma maior conscientização simplesmente encontrando alguns segundos para se concentrar na sua respiração. Durante essas meditações, faça perguntas, como:

  • O que estou tentando alcançar?
  • O que estou fazendo que está funcionando?
  • O que estou fazendo que está me atrasando?
  • O que posso fazer para mudar?

2. Anote seus principais planos e prioridades

Uma das melhores maneiras de aumentar a autoconsciência é anotar o que você quer fazer e acompanhar seu progresso. Warren Buffet, por exemplo, é conhecido por articular cuidadosamente as razões pelas quais está fazendo um investimento no momento em que o faz. Suas anotações no diário servem como um registro histórico que o ajuda a avaliar se os resultados futuros podem ou não ser atribuídos a um bom julgamento ou simplesmente sorte.

Benjamin Franklin mantinha um “balanço” de ativos e passivos de suas características pessoais. Ao diacrizar qualquer nova força que ele acreditasse que poderia aprender com outra pessoa, e diminuir qualquer fraqueza autopercebida, ele poderia avaliar melhor se o “patrimônio líquido” de seu personagem estava crescendo com o tempo.

3. Faça testes comportamentais

Faça testes de personalidade e de comportamento. Eles são uma grande ferramenta para se obter autoconhecimento. A partir dos relatórios detalhados, você pode entender porque age de certa maneira em determinadas situações, compreender melhor suas relações amorosas, familiares e do trabalho!

Um ponto comum a todos eles é que não há respostas certas ou erradas em particular. Em vez disso, eles são projetados para obrigar os entrevistados a considerar um conjunto de características ou características que os descrevem com mais precisão em relação a outras pessoas.

Um teste de perfil comportamental pode ser extremamente esclarecedor e essencial para seu desenvolvimento pessoal e profissional, a partir do momento em que se sabe quais são seus pontos fortes e a desenvolver.

4. Pergunte a amigos confiáveis

Nenhum de nós é totalmente consciente de como nos deparamos com os outros. Temos que confiar no feedback de nossos colegas, amigos e mentores. Para que seus amigos desempenhem o papel de um espelho honesto, avise-os quando estiver buscando perspectivas sinceras, críticas e objetivas. Faça com que seu amigo ou colega se sinta seguro em lhe dar uma visão informal, mas direta e honesta. Isso pode significar dizer algo como: “Olha, eu estou realmente te perguntando como amigo, por favor, seja direto comigo sobre este assunto. ok?”

Outra estratégia é pedir a amigos para ligar para você quando estiver fazendo um comportamento que você já sabe que quer mudar.

5. Receba feedback regular no trabalho

Além de informalmente e periodicamente pedir a amigos e familiares, use os processos e mecanismos formais em seu local de trabalho. Se não houver nenhum, veja se você pode implementar mais ciclos de feedback formal. Desde que seja bem feito, um feedback formal e construtivo nos permite ver melhor nossos pontos fortes e fracos.

As chaves para um feedback formal eficaz são:

  1. a) ter um processo e
  2. b) ter um gerente efetivo dele.

Este último requer realmente boas pessoas internas de RH, ou trazendo facilitadores e consultores externos. Descobrimos que a abordagem com pessoas externas é mais eficaz tanto para pequenas como para grandes empresas, porque elas vêm sem a bagagem de preconceitos pré-concebidos ou de linhas de relatório. Depois que o processo de feedback é concluído, é importante que todos os envolvidos reflitam sobre isso anotando seus principais tópicos. Observe ambos os pontos fortes surpreendentes e quaisquer pontos fracos ou pontos cegos.

No final, todos queremos autoconsciência. Sem isso, nunca se pode liderar de forma eficaz. É somente com a autoconsciência que se pode chegar mais perto de um estado de “auto-congruência” – em que o que dizemos, pensamos e sentimos é consistente. Construir a autoconsciência é um esforço para a vida toda. Você nunca está “pronto”. Mas essas cinco práticas pragmáticas ajudarão você a avançar mais e mais ao longo do caminho.

Fonte: Harvard Business Review

Deseja fazer uma análise de perfil comportamental? – Entre em contato conosco

 


Compartilhe:

(31) 2516-4056

atendimento@rhoriente.com.br